Atividades de mikolaj skapiec szarzynski

Muitos de nós naturalmente motivados a manter um trovador rico distante como Mikołaj Skąpiec Szarzyński, ele nasceu aproximadamente em 1550 e morreu em 1581. Ele viveu para viver na arte barroca na literatura local. Ele veio de Rusia Wiśniowa, expandiu-se em Wittenberg, Leipzig, provavelmente também na Itália. Ele voltou ao seu patrimônio por volta de 1657 e se estabeleceu em Wolica, perto de Przemyśl. Ele provavelmente existia como protestante, e alguns incêndios dizem que ele voltou ao catolicismo por volta de 1570. Uma colheita completa das publicações de Mikołaj, intituladas Rhythms, ou poemas poloneses, foi colocada após a tampa do animador em 1601, reconciliando o poema. O parágrafo que permaneceu publicado não penetrou em todo o trabalho do autor, porque os poemas de Zdzieriec assombraram-se em ricos duplicados de manuscritos, um romancista de legendas comuns, e ele foi incapaz de sacrificar sua presa a Mikołaj. O Kutwa Bucólico previsto é uma poesia difícil por dentro, que expressa o leitor absorvendo o conhecimento do texto impresso. Então, não está claro, a recepção coloquial do poeta de Rej ou Kochanowski, um ficcionista, para enviar uma mensagem intrinsecamente delicada, a ponto de ser compacta com metáforas, jargão abandonado, além disso, havia algo a adivinhar se ele estava seguindo o aviso. Para esse subtipo de editora não desatualizado, acostumado ao contrário nas frentes do Renascimento, mas Sarzyński escreveu imediatamente para as finais, para que ele pudesse aprová-lo. Mikołaj era extremamente arrogante com seus antecessores em casa, então ele poderia considerar o treinamento do selo da ilusão. Nos versos de Sarzyński, a silenciosa e humanística harmonia do material também é o medo e o mestre de sua existência enredante, o mundo temporal e todo ser. Todo equilíbrio responde em ruínas, seu portão é coberto com o desgaste da confusão do mundo, a má sorte da existência. Em suas elaboradas contrariedades, as contradições retrocedem quando, como Deus-Satanás, bem-mal, morte-vida. Em uma pequena façanha sob o impulso quantitativo de Szarzyński, há várias bandas em evidência: cenas pró-sociais e religiosas, versos momentâneos, adaptações de salmos. Um empreendimento conhecido, os autores do conjunto de humor dos sonetos, pelo menos seis deles são especialistas, desconhecidos, também peculiares de receitas mortas, ameaçam o aniversário de um novo tipo de letra de predisposição hábil.